Notícia

Governadora se reúne com G7 para discutir o futuro do Paraná

segunda, 03 de setembro de 2018
Revitalização do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social (CEDES) foi o tema principal do encontro, realizado na segunda-feira (03), no Palácio Iguaçu

Planejar o Paraná para os próximos 35 anos e buscar soluções para o desenvolvimento econômico e social do Estado. Este foi o tema da reunião de trabalho, realizada na manhã desta segunda-feira (03), no Palácio Iguaçu, a pedido da governadora Cida Borghetti. O encontro reuniu representantes do G7, grupo formado por instituições do setor produtivo: Fecomércio, Faep, Fiep, ACP, Fetranspar, Fecoopar e Faciap.

O presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná, Marco Tadeu Barbosa, foi um dos convidados da governadora, para debater a revitalização do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social (CEDES), criado em 1983 e reformulado em 2012, com o propósito de ser um instrumento de diálogo, entre o setor produtivo e o Governo.

A governadora ressaltou que a retomada do Conselho surgiu logo após a entrega de um caderno de propostas, idealizadas pelo G7.  “Nós entendemos que é possível trabalhar em conjunto e planejar o Estado”, revelou Borghetti. “2053 é uma data simbólica, momento em que o Paraná completa 200 anos de emancipação do estado de São Paulo. E precisamos discutir, de que maneira vamos nos organizar para chegar neste ano, com um Estado diferenciado, organizado e com políticas públicas na área da saúde, segurança, educação e infraestrutura”, refletiu.  

Durante o Encontro, o presidente da Ocepar, José Roberto Ricken, coordenador do G7, mencionou a importância de um plano de desenvolvimento. “O governo precisa ter muito claro a direção do propósito. As metas são consequência dessa direção”, completou Richen.

 

A MELHOR CIDADE DO BRASIL – No encontro, Maringá, a cidade paraense que conquistou pela segunda vez consecutiva o título de melhor cidade para se viver’ - entre os cem maiores municípios brasileiros, foi citada como exemplo de planejamento eficiente.

O título, atribuído pela consultoria Macroplan, considera a análise de 15 indicadores, desenvolvidos em quatro áreas críticas para a gestão pública: Educação, Saúde, Segurança e Saneamento, e Sustentabilidade, revelou Sílvio Barros, secretário do Desenvolvimento Urbano do Estado do Paraná. “Não é uma casualidade. É resultado de um processo”, reforçou.  

Barros também destacou a importância da mobilização da sociedade civil organizada, para garantir a continuidade do projeto. “Porque mudanças, alternâncias de poder e de ideologias, comprometerão a nossa capacidade de levar um projeto adiante. Então o desafio de hoje é provocar a sociedade civil organizada para que ela efetivamente assuma a paternidade e a blindagem do projeto”, ressaltou.

Marco Tadeu Barbosa garante que a exemplo de Maringá, é preciso envolver toda a sociedade, não só o setor produtivo. “O sucesso de Maringá se deu por conta da sensibilização feita em cima da sociedade. Nós fizemos várias ações. Tanto que o custeio desse projeto se deu por conta de cidadãos comuns”, exemplifica Marco Tadeu.

 

Fonte: FACIAP